quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Facilitando a Impressão 3D


Hoje vou dar duas dicas para facilitar a impressão, a primeira dica é como imprimir peças grande com ABS sem descolamento de camadas e sem efeito warp, deixando a peça, mesmo sendo grande, praticamente sem nenhum warp ou muito pouco. A segunda dica é para grudar a peça na mesa de forma fácil e prática.

1ª) Dica



Para quem não sabe o que é o efeito warp, é quando a base da peça deforma os cantos, como pode ser visto na imagem ao lado, isso acontece mais quando a peça é grande, pois o ABS é um material que contrai muito durante o esfriamento da peça.





Outra coisa que acontece, quando a peça em ABS é grande, é o descolamento de camadas, pelo mesmo motivo que o efeito warp, ou seja a contração do ABS.




Essa contração que o ABS sofre é devido a grande diferença de temperatura da extrusão e a temperatura ambiente, pois a grande maioria da impressoras RepRap são abertas.

Eu já sabia que impressoras profissionais são fechadas e a área de impressão é uma mini estufa para que não ocorra o choque térmico e com isso evitar o efeito warp e também o descolamento de camadas, sendo assim resolvi improvisar uma cabine para colocar a impressora dentro e ver se teria diferença nos resultados da impressão com ABS de peças grandes.



Para improvisar uma cabine, usei uma caixa de papelão com parede dupla, grande o suficiente para caber uma impressora dentro, no caso uma Prusa Air, cortei a porta e coloquei um visor de vidro para acompanhar a impressão, também coloquei um termômetro dentro para verificar a temperatura, não usei nenhum sistema de aquecimento, apenas a própria impressora, com a mesa em 110º C.


Para minha surpresa a cabine funcionou melhor do que o esperado, todas as peças impressas nela, independente do tamanho, não apresentaram warp e nem descolamento de camadas, lembrando que testei com ABS, pois o PLA não tem esse problema, o PLA não contrai durante a impressão.

A temperatura rapidamente atinge a faixa de 50º C e continua subindo se a caixa ficar totalmente fechada, para controlar a temperatura interna, abri 1 dedo na parte superior da caixa, dessa forma consegui manter a temperatura constante em torno dos 50º C.

No vídeo abaixo, vejam a impressora imprimindo dentro da caixa.

video

Nas imagens abaixo, podemos ver uma caveira dividida em duas peças para serem coladas, com 17 cm de comprimento, além de não apresentar nenhum descolamento de camada, a base não apresentou warp significativo, ou seja, muito pouco para o tamanho da peça. 

Para ampliar as imagens, basta clicar nelas.








Na última imagem, com as duas partes da caveira juntas, podemos ver uma pequena fenda, menor que 1mm no encaixe do contorno dos olhos, sendo que no encaixe do "nariz", entre os olhos e a parte de traz não tem nenhuma fenda, ou seja o warp no canto dos olhos foi mínimo, menos de 0,5mm em cada peça.

Eu já havia tentado imprimir essa mesma caveira, sem cabine, com 75% do tamanho, mas o warp era muito grande, não permitindo um bom encaixe das parte.

Portanto, a primeira dica é que "cabinar" a impressora 3D facilita muito a impressão de peças grandes em ABS e minimiza muito o efeito warp, sendo zero o efeito warp na maioria das peças.

Mas antes de cabinar a sua impressora, tenha certeza que a eletrônica não vai super aquecer e queimar, no caso da Prusa Air, ela usa uma eletrônica Gen7BR com ventilação e dimensionada para a mesa aquecida de alta amperagem, já imprimiu mais de 60 horas dentro da cabine e não teve nenhum problema com a temperatura elevada.

Vendo um resultado tão positivo com a cabine, pretendo iniciar um novo projeto de impressora no formato cubico, facilitando o fechamento da mesma quando necessário para imprimir peças grandes em ABS.

2ª) Dica


Uma das coisas mais chatas é o descolamento da peça da mesa durante a impressão, por muito tempo utilizei a fita de Kapton e mesa em 110ºC, porém com o passar do tempo, o Kapton vai estragando, e perdendo a aderência, precisando ser trocado. Fora isso a superfície da peça fica com marcas das emendas do Kapton.


Outra solução é utilizar uma placa de vidro, com cola de PVC espalhada com uma espátula ou pincel, essa forma de imprimir é muito boa, e a peça não costuma descolar, porém, a cola não sai do ABS e se não tiver sido espalhada de forma muito uniforme, o ABS vai ficar manchado.


Já tinha lido no forúm brasileiro, RepRapBR que o uso de spray para fixar cabelo funcionava, porém "melecava" tudo, mesmo assim, resolvi fazer o teste, para isso comprei várias marcas diferentes do famoso "laquê", pelo menos era esse o nome que minha mãe chamava.


Realmente, a maioria deles meleca tudo, deixa uma camada de cola molhada no vidro (colocado em cima da mesa de impressão), mas o número 1, (Karina) me surpreendeu, ele tem uma diferença dos outros, está escrito na lata "Jato extra seco" e realmente ao passar no vidro, parece que não tem nada, mal se vê a camada de laquê, achei que a peça nem grudaria, mas eu estava enganado, grudou muito bem !! 


Todas as peças impressas com esse laquê não desgrudaram do vidro até que o mesmo esfriasse, a temperatura da mesa para o ABS permaneceu a de sempre 110ºC, após a mesa esfriar a peça solta sozinha, devido a contração do ABS, e o melhor de tudo, não deixa resíduo aparente na peça, a parte de baixo fica lisinha como se tivesse sido impressa no vidro sem nada, eu acredito que outras marcas com essa característica Jato extra seco também devem funcionar bem.


Testei também com PLA, e o resultado foi o mesmo, com uma diferença, a peça não solta nem depois de esfriar a mesa, pois o PLA não contrai, é preciso usar uma espátula, estilete, alguma coisa para com cuidado descolar a peça, no meu caso de uma placa de vidro sobre a mesa.


Apesar de ser um jato extra seco, recomendo passar o laquê no vidro fora da impressora para evitar de contaminar guias lisas e outras partes com o mesmo, afinal é uma cola. Portanto, prenda o vidro com presilhas de papel em sua mesa aquecida depois de aplicar o laquê nele fora da impressora.


Outra vantagem é a facilidade de retirar o laquê do vidro, apenas passando um pano com álcool. 


O preço de uma lata é menos de R$10,00, sendo que rende muito, pois basta passar uma única mão rapidamente do spray no vidro. Eu gostei muito do resultado, é fácil de aplicar, a peça fica bem firme no vidro mesmo tendo uma área pequena de contato, e não deixa resíduo aparente na superfície da peça.

Essas eram as duas dicas para facilitar a impressão 3D que eu queria passar para vocês, até o próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário